Opções de Tratamento

voltar

As opções de tratamento variam de acordo com a gravidade  e extensão da doença –  classificação clínica CEAP , a qual classifica de graus 1 a 6.
O método de exame complementar mais importante é o ECODOPPLER COLORIDO, o qual permite a realização do “mapeamento” das varizes e auxilia na escolha da técnica e da tática do tratamento. Recentemente, a utilização da visualização de veias intermediárias passou a ser possível por tecnologia da “realidade aumentada”, o VEIN VIEWER – o qual permite identificar veias nutrizes de nichos de varicoses e orientar as sessões de escleroterapia e  do laser transdérmico.

  • TRATAMENTO CLÍNICO:  uso de medicação e meias elásticas. Porém, na maioria das vezes, há indicação de tratamento intervencionista, como: escleroterapia/espuma, microcirurgia, laser transdérmico, safenectomia (retirada da safena), ablação da safena (por método endovascular, o qual utiliza endolaser ou  radiofrequência).
  • TRATAMENTOS INTERVENCIONISTAS:
  1. SAFENECTOMIA – Retirada cirúrgica da veia safena.
  2. PRESERVAÇÃO DA SAFENA – Retirada somente das varizes colaterais. A veia safena é preservada, para a eventualidade de vir a ser utilizada como ponte (Ex: ponte de coronárias). Assim, existem critérios que permitem em alguns casos que as varizes sejam retiradas e a safena seja preservada /mantida na perna.
  3. MICROCIRURGIA – Também conhecida por micro cirurgia, onde são realizados pequeníssimos cortes de 2 a 3 milímetros cada. Esta técnica permite a cicatrização da pele com uso de fitas do tipo “micropore”, sem uso de pontos.
  4.  RADIOFREQUÊNCIA – É uma técnica que utiliza um emissor de energia, conhecido por “Radiofrequencia”, o qual é aplicado através de um cateter posicionado na veia safena com o controle do edodoppler colorido. Este é um método menos invasivo que realiza a “ablação” ou o “fechamento” da veia safena. Esta intervenção é realizada no Centro Cirúrgico, sob anestesia e proporciona menor número de incisões cirúrgicas e mais rápida recuperação pós-operatória.
  5.  ENDOLASER – É uma técnica que utiliza o laser de diiodo, o qual é aplicado através de um cateter posicionado na veia safena com o controle do ecodoppler colorido. Este é um método menos invasivo que realiza a “ablação” ou o “fechamento” da veia safena. Esta intervenção é realizada no Centro Cirúrgico, sob anestesia e proporciona menor número de incisões cirúrgicas e mais rápida recuperação pós-operatória. Assemelha-se a Radiofrêquencia.
  6.  ESCLEROTERAPIA COM ESPUMA DENSA – É a injeção de um produto esclerosante na forma de espuma, resultando na esclerose (“secagem”) de varizes calibrosas e da própria safena.
  7. ESCLEROTERAPIA PARA MICROVARIZES – Consiste em aplicações de medicamentos através de seringas e agulhas delicadas nas micro varizes. As aplicações são realizadas a nível ambulatorial, na própria clínica, em ambiente confortável, utilizando material totalmente descartável. A associação de anestésico local proporciona uma técnica praticamente indolor. Pode utilizar medicamentos líquidos ou sob forma de “Espuma Suave”.
  8.  LASER TRANSDÉRMICO: técnica que utiliza laser específico para vasos sanguíneos superficiais – laser de NdYAG LONG PULSE. Veio somar mais uma opção terapêutica, principalmente quando utilizado associado à escleroterapia com espuma de Polidocanol. Sempre é aplicado sob analgesia de ar gelado.

Ir ao topo

Copyright © 2016 - Todos direito reservados.